Perto dos Jacarés

Não por coincidência esse lugar se chama Refúgio Ecológico Caiman… Os jacarés, ou Caimans, estão em toda parte. Sou fãn desses répteis, ao contrário dos crocodilos, eles não são agressivos. De certo aspecto, são até dóceis. Seu tamanho os tornam muito menos intimidadores.. Cada vez me espanto mais com a tolerância desses animais… cada vez me deixam chegar mais perto. Aqui, ao longo dos anos, um respeito mútuo foi estabelecido. Em muitos lugares do Pantanal os jacarés foram muito caçados por causa de suas peles. Isso não é o caso aqui. Aqui na Caiman, eles vem sendo protegidos ha muitos anos e  isso nos possibilitam grandes encontros com esses animais pré históricos..

 

This is one of my favourite photographs so far in the Pantanal. The reason" the sharpness, the lighting and the beautiful contrasting blues and greens.

Uma das minhas fotos favoritas aqui no Pantanal… O contraste e o azul ao fundo são maravilhosos.

As the sun starts to set the Caiman all move towards areas of fast flowing water...fishing time

Jacarés pescando ao entardecer.

If one looks closely you may find that every bit of aquatic vegetation has a set of eyes poking out.

Eles estão por toda parte…

An unusual view of a portion of a Caiman under water

Em baixo d’água..

The skin

A pele.

The flat body of this reptile

O corpo desse réptil.

The tail

A cauda.

The eyes and teeth

Olhos e dentes.

A picture I took of a Nile Crocodile back in South Africa. Im sure you will find it interesting to compare the two

Foto de um crocodilo que tirei na África… Interessante comparar os dois.

Escrito, fotografado e filmado por Adam Bannister

Anúncios

Andando de canoa com um jacaré.

Uma das atividades oferecidas pelo Refúgio Ecológico Caiman é andar de canoa no maior lago da fazenda. É uma boa mudança do modo de como normalmente nos locomovemos. Nos possibilita relaxar e apreciar esse habitat alagado. O melhor horário para se andar de canoa é no fim da tarde, quando a temperatura cai um pouco e a luz fica maravilhosa. Dependendo das nuvens, você conseguirá ver o pôr do sol mais espetacular da sua vida.

The sunsets here in the Pantanal are incredible - rivaled only by the sunrises

O pôr do Sol aqui no Pantanal é maravilhoso e só compete com o amanhacer.

Os guias da Caiman os acompanharão e lhes mostrarão a fauna e a flora, mas vc também terá tempo de relaxar e curtir o passeio. Fora os pássaros, minha parte favorita nos passeios de canoas é o tanto que ela possibilita chegar perto dos jacarés. Como venho da África, onde os crocodilos são muito ferozes, no começo tomei cuidado pra não chegar muito próximo dos seus primos sul-americanos. Mas quando vi as outras canoas chegando perto, resolvi arriscar. Calmamente deixamos a canoa se aproximar de um jacaré bem grande e fiquei maravilhado, observando aquela criatura nadar calmamente em nossa frente. Ele não demonstrou nenhum sinal de agressividade. A água estava escura, mas transparente o suficiente para enxergar seu corpo de baixo d’agua. Poucas contraçoes de sua cauda e ele deslizava como se fosse um torpedo. Inacreditável.

Assim que o Sol comçou a se pôr, fizemos meia volta e fomos em direção a margem. Um casal de araras azúis passaram voando sobre nossas cabeças. Esse lugar parece o paraíso.

Escrito, fotografado e filmado por Adam Bannister

Guests at Caiman Ecological Refuge go out for guided afternoon canoe

Hóspedes do Refúgio Ecológico Caiman saem para passear de canoa.

Vista aérea do Refúgio Ecológico Caiman

Gostaria de agradecer ao Sr Roberto Klabin pela oportunidade de proporcionar a membros do Projeto Onçafari  a oportunidade de fazer um voo sobre a Caiman. Todos os dias saimos em busca das onças pintadas nesse lugar maravilhoso. Nosso objetivo é encontrar e habituar esses magníficos felinos. Foi muito bom poder ver do alto o terreno por onde andamos todos os dias, as estradas, as trilhas, as árvores… enfim essa área que conhecemos tão bem.  Além de descobrir novas regiões onde podemos explorar.

Do avião tirei algumas fotos. Espero que gostem dessas fotos do Pantanal tiradas do alto…

The largest wetland in the world

A maior planície inundavel do Planeta.

From the air one truly gets an idea of the pure beauty of the Pantanal

Do ar é ainda mais fácil perceber a beleza do Pantanal.

Paizinho Bridge. This area is well known for its excellent Jaguar viewing. A family of Ocelots have been in this area for many years.

Paizinho Bridge. Essa área é ótima para se avistar onças pintadas. Além de uma familia de jaguatiricas que vivem aqui a anos.

Late floods meant that even in July there was still an abundance of water

As cheias atrasaram esse ano. Mesmo em Julho conseguimos ver uma abundância de água.

The core operations area of the ranch.

A principal área da Fazenda.

Cattle dotted throughout the incredibly green landscape

Bois na imensidão verde.

The main bridge that is apparently over a hundred years old

A ponte principal, com mais de 80 anos de idade.

A lone XXX tree stands out in the open

Uma Piúva solitária no campo aberto.

A vast view west towards Boliva and Paraguay

Vista infinita em direção a Bolívia e o Paraguai.

Escrito e fotografado por Adam Bannister

A cópula dos Tatus

Não existem muitas pessoas que possam dizer que já viram tatus copulando em frente a sua casa! Bom, agora faço parte desse clube de elite…Outro dia fiquei observando 4 tatus macho correndo atrás de uma tatu fêmea. Que sortuda ela em receber tanta atenção. Até o gato aqui da casa ficou admirando a cena.

Não sei o que um deles fez de certo, mas ele foi o escolhido. Ele a agarrou, ficou passando o queixo nas costas da fêmea e a segurou firme com suas garras. Ela começou a correr em círculos em volta do jardim. Quando percebi já estava cheio de gente assistindo a essa cena esquizita.
Esses dois tatus eram o centro das atenções, todos estavam fascinados com o acontecimento e tbm pelo fato do macho não ter controle nenhum sobre o que estava acontecendo. Ele apenas segurava firme.

Tive tempo de correr até meu quarto, me deitar no chão e filmar um pouco dessa cena. Os tatus são bem legais. Imagina como deve ser um tatu bebê.

Qualquer novidade sobre esses tatus eu aviso a vcs…

Escrito e fotografado por Adam Bannister

A caminhada até o escritório

Demoro cerca de 20 minutos para andar até o escritório. No escritório é onde temos livros, internet e minha mesa. Mas meu trabalho verdadeiro fica bem longe dali. 90% do meu tempo fico no campo, aprendendo e procurando por sinais da ilusiva onça pintada. Tenho um dos maiores escritórios do mundo… Com mais ou menos 130 000 quilometros quadrados o Pantanal certamente é uma das maiores áreas selvagens do planeta.

Mas voltando a caminhada. Eu poderia ir de carro, mas isso me faria perder a oportunidade de diariamente ver e aprender algo novo. Prefiro andar. É muito bonito. Sempre carrego comigo minha câmera quando ando até o escritório.

Nunca se sabe o que vai se ver!

Abaixo uma seleção das fotos que tirei em minhas duas primeiras semanas de Pantanal… durante minhas caminhadas até o ecritório. Aprendi uma lição: Sempre olhar o que esta acontecendo ao meu redor, enquanto procuro por um sinal de internet…Afinal,estou trabalhando num dos lugares com a maior biodiversidade do planeta.

Aproveitem a caminhada…

I just love the blues in this picture of an old spiderweb strung up between the wires of a fence.

Adoro os tons de azul dessa foto de uma teia de aranha feita entre dois fios de cerca.

The setting sun often throws out the most beautiful colours. An everyday scene can be transformed momentarily into a real spectacle.

Lindas cores no pôr do Sol. Uma cena comum que em momentos se transforma em espetáculo.

The football (soccer) field just after the sun has risen. The dew still thick on the lush lawn.

O campo de futebol logo após o Sol nascer. Ainda da pra ver o orvalho.

Gray-breasted Martins gather as the sun rises.

Andorinhas ao nascer do Sol.

A recently born calf. Each day I watch this beautiful creature growing up. Of course I greet him each morning in my best portuguese "Bom dia".

Um boi recém nascido. Vejo ele crescer todos os dias.

The bridge over which I walk each day.

A ponte que atravesso todos os dias.

Turquoise-fronted Amazon - one of the nosiest birds in the Pantanal

Papagaio, um dos pássaros mais barulhentos do Pantanal

A Plumbeous Ibis searches the water for a small meal.

Curicaca procurando sua refeição.

Guests at Caiman Ecological Refuge go out for guided afternoon paddle. Going out on the canoes changes the whole perspective and allows for incredibly close and intimate encounters with wonderful birdlife.

Hóspedes do Refúgio Ecológico Caiman durante um passeio de canoa. Um ótimo jeito de chegar ainda mais perto dos pássaros.

Written and photographed by Adam Bannister

Onça Pintada ignora carcaça

Encontramos a carcaça de um boi nas primeiras horas do dia. Aparentemente sem nenhuma onça por perto, nos aproximamos da mata para investigar. Ficou muito claro que uma onça tinha enfincado seus dentes nas vértebras do boi. A onça pintada têm a mordida mais forte de todos os felinos, capaz de morder com uma pressão tremenda. Dizem que ela tem uma mordida duas vezes mais forte que a de um leão, e  a segunda mais forte de todos os mamíferos, mais fraca apenas que a da a hiena. Depois de investigar as feridas pudemos ver em primeira mão o poder notável destes gatos.

 

Tomamos notas, tiramos fotografias e colocamos uma armadilha fotográfica com infravermelho próxima a carcaça. Em primeiro lugar, queríamos ver se a onça voltaria para a carcaça fresca, e também saber qual onça tinha sido responsável por esta predação.

 

Voltamos tarde da noite para ver se teríamos um avistamento de qual era o gato em questão. Condições chuvosas, no entanto, fez nossa abordagem muito difícil e logo estávamos atolados na lama. Decidimos deixar a armadilha fotográfica fazer o seu trabalho. Voltamos no dia seguinte para recuperar o cartão de memória da armadilha fotográfica. A carcaça tinha sido um pouco comida e arrastada cerca de dois metros de distância. Novas pegadas de uma onça fêmea indicava que provavelmente ela tinha passado por ali algumas horas atrás.

 

As curtas sequências de vídeo captadas pela armadilha fotográfica contam uma história fascinante. No decorrer da noite, uma grande onça macho, conhecida pelo projeto como Fantasma surge da escuridão. Ele passa confiantemente pelo boi morto e demonstra pouco interesse pela carcaça fresca, ele  parece quase não perceber que ela estava ali!

 

Cerca de duas horas e meia mais tarde uma  onça fêmea conhecida como Esperança chega ao local. Ela arrasta a carcaça e se alimenta. Isso me leva a acreditar que foi essa fêmea que matou o boi. Ela pode ser identificada nos vídeos pela presença de um rádio colar. Este colar foi colocado em outubro de 2012 e nos permite usar a telemetria para nos mostrar sua posição, seu território e área de vida. O habitat que ela usa é tão difícil de navegar, que este colar nos permite uma olhadinha em sua vida secreta.

 

Abaixo você pode ver a sequência de vídeos capturado pela armadilha fotográfica. Note que a cerca em vista é uma cerca de gado e não impede os movimentos dos animais silvestres.

A razão pela qual o grande macho ignorou uma boa refeição, eu não sei e o fato de isso ter acontecido realmente me surpreende! Com toda minha experiência com grandes felinos em todo o mundo, eu nunca vi um gato não mostram interesse em carne fresca disponível. Eu já os vi farejar e decidir que a carne não era do seu agrado ou que estava muito velha. Também já vi gatos tentarem localizar uma carcaça pelo cheiro e por pouco não achar sua posição, mas eu nunca vi um gato simplesmente encontrar uma carcaça e não mostram nenhum interesse por ela … nem mesmo farejar ou por a pata nela!

 

Mais um ponto fascinante sobre o comportamento das onças pintadas a ser descoberto pela equipe do Projeto Onçafari, com base aqui no Refúgio Ecológico Caiman, no Pantanal. Adoraríamos ouvir seus comentários ou teorias a respeito de porque ele pode ter simplesmente passado pela carcaça sem demonstrar nenhum interesse.

Fantasma:  the large male Jaguar - Diogo

Fotografia do Fantasma no Refúgio Ecológico Caiman (setembro de 2012) – Diogo Lucatelli

 

Escrito por: Adam Bannister
Fotos: Diogo Lucatelli
Armadilha Fotográfica: Projeto Onçafari