Mão-Pelada

O mão-pelada se alimenta de crustáceos e várias outras coisas como anfíbios, insetos, peixes, ovos e frutas.

Ele é noturno e tem hábitos solitários. Ele se parece muito com seu “primo”, o Raccoon da América do Norte. Ambos tem uma máscara preta, feita de pêlos, ao redor dos olhos. Porém não se sabe muito sobre esse animal, se comparado a seu primo americano. A maior parte do que sabemos foi descoberto em animais de zoológico.

A brief view of a Crab-Eating Fox. You can see that the tail makes up to 50% of the body length

Mão-Pelada, repare que o seu rabo representa cerca de 50% do seu comprimento.

Ele é basicamente terrestre mas também sobe em árvores. Suas garras curtas e afiadas os possibilitam subir em árvores..

Comparado com o Raccoon, que se adapta tranquilamente a ambientes urbanos, o mão-pelada não se adapta facilmente e é difícil de ser encontrado em regioes muito populosas.

Os machos não participam na criação dos filhotes, já as fêmeas ficam mais territorialistas e não toleram a presença de outros mão-peladas quando estão com filhotes.

As fêmeas tem de 2 a 7 filhotes entre Julho e Setembro.

A map showing the rough range of the Crab-eating Raccoon.

Area de ocorrência do mão-pelada.

Written, filmed and photographed by Adam Bannister

Anúncios

Andando de canoa com um jacaré.

Uma das atividades oferecidas pelo Refúgio Ecológico Caiman é andar de canoa no maior lago da fazenda. É uma boa mudança do modo de como normalmente nos locomovemos. Nos possibilita relaxar e apreciar esse habitat alagado. O melhor horário para se andar de canoa é no fim da tarde, quando a temperatura cai um pouco e a luz fica maravilhosa. Dependendo das nuvens, você conseguirá ver o pôr do sol mais espetacular da sua vida.

The sunsets here in the Pantanal are incredible - rivaled only by the sunrises

O pôr do Sol aqui no Pantanal é maravilhoso e só compete com o amanhacer.

Os guias da Caiman os acompanharão e lhes mostrarão a fauna e a flora, mas vc também terá tempo de relaxar e curtir o passeio. Fora os pássaros, minha parte favorita nos passeios de canoas é o tanto que ela possibilita chegar perto dos jacarés. Como venho da África, onde os crocodilos são muito ferozes, no começo tomei cuidado pra não chegar muito próximo dos seus primos sul-americanos. Mas quando vi as outras canoas chegando perto, resolvi arriscar. Calmamente deixamos a canoa se aproximar de um jacaré bem grande e fiquei maravilhado, observando aquela criatura nadar calmamente em nossa frente. Ele não demonstrou nenhum sinal de agressividade. A água estava escura, mas transparente o suficiente para enxergar seu corpo de baixo d’agua. Poucas contraçoes de sua cauda e ele deslizava como se fosse um torpedo. Inacreditável.

Assim que o Sol comçou a se pôr, fizemos meia volta e fomos em direção a margem. Um casal de araras azúis passaram voando sobre nossas cabeças. Esse lugar parece o paraíso.

Escrito, fotografado e filmado por Adam Bannister

Guests at Caiman Ecological Refuge go out for guided afternoon canoe

Hóspedes do Refúgio Ecológico Caiman saem para passear de canoa.

Onças sobem em árvores.

Existe um mito que diz que onças não sobem em árvores! Bom, temos evidencias que provam o contrário. Não apemas vimos, como temos isso filmado. Se olhar no YouTube verá que não existem muitas filmagens disso feitas na natureza. A maioria dos videos são de zoológicos. Mas as cenas que temos aconteceram na natureza, mais precisamente no Pantanal, aqui no Brasil.

Até esse evento nossa equipe tinha achado oito árvores  que provavam que onças subiam sim e descançavam em árvores. Inclusive deixamos uma armadilha fotográfica em uma das árvores e conseguimos cenas interessantes durante o mês que a câmera ficou lá. Não somente filmamos uma onça pintada encima da árvore como também filmamos uma onça parda com seu filhote.

Já tinhamos as marcas de arranhoes nas árvores e também as imagens da armadilha fotográfica… mas queríamos ver com nossos próprios olhos.

One of the trees that we have recently found that has numerous claw marks high up in the branches.

Uma das árvores encontradas que tem várias marcas de garras em seu tronco.

This tree is frequented by a female Jaguar, known by the habituation team as Esperanca

Essa árvore é frequentada por uma onça conhecida no Projeto como Esperança. Se olhar com cuidado conseguirá ver a armadilha fotográfica que instalamos em um dos galhos.

This huge tree has amazing number of scratch and claw marks. Some as high as five meters up.

Essa árvore tem inúmeras marcas de garras, algumas a 5 metros de altura.

Um dia, seguindo uma fêmea e seu filhote enquanto andavam pelas matas, observamos o filhote subir em uma árvore. A confiança com que ele subiu no tronco nos faz acreditar que não era a primeira vez que ele fazia isso. Ele estava muito relaxado encima da árvore, o que nos proporcionou boas oportunidades de fotografa-lo. De repente, como se estivesse se sentindo “por fora” sua mãe também subiu. Porém quando os dois estavam lá encima, eles ficaram meio sem espaço e com cautela desceram da árvore.

Yara's male sub-adult cub resting in the branches of a tree.

Filhote da Yara descançando em um dos troncos.

Foi realmente um privilégio poder assistir esses felinos brincando. Passamos mais de tres horas com eles naquela noite, o que nos mostra que nosso sonho de habitua-los a presença de nossos veículos esta se tornando realidade.

This young male has quickly become my favourite jaguar. He has the inquisitive nature typical of a young cat

Esse filhote é uma das minhas onças favoritas. Ele tem uma curiosidade aguçada, típica de um jovem felino.

Escrito e fotografado por Adam Bannister
Filmagens de Adam Bannister e Diogo Lucatelli

Fatos Curiosos: Anta

Pesquisando sobre esse animal achei uma curiosa pergunta:

“O que é, o que é? Tem 4 patas, uma pequena tromba e anda embaixo d’agua?”

A resposta é uma bicho curioso chamado anta. As antas parecem uma mistura de um hipopótamo magrelo, com um porco gigante. Adicione uma pequena tromba e o resultado é uma anta.

They are in fact related to horses and rhinoceroses.

As antas são relacionadas a cavalos e rinocerontes.

A tromba é de fato uma extensão do naris e dos lábios superiores. Elas a usam para pegar galhos e frutas quando estão comendo. Como se pode ver no video abaixo, elas tbm as usam para cheirar. As antas são crepusculares apesar de as vermos em diferentes horários. Elas parecem ser territorialistas e usam áreas parecidas para comer e frequentemente os mesmos caminhos para se chegar até elas.

As antas são excelentes nadadoras e frequentemente afundam e andam no fundo dos lagos e lagoas. Isso as possibilita comer plantas aquaticas. Em dias quentes é comum encontra-las se refrescando nessas “piscinas” naturais. Acreditamos, que assim como muitos animais da Africa, elas também rolam na lama com a finalidade de evitar carrapatos e outros insetos.

Elas tem 4 dedos nas patas da frente e tres nas patas trazeiras, isso as ajudam caminhar na lama e em solos arenosos.
Existem quatro espécies de antas – Todas vulneráveis ou ameaçadas de extinção, principalmente devido a caça e a perda de habitat. A espécie que encontramos aqui no Refúgio Ecológico Caiman é a anta comum.

Tapir-side-on-comica

Espectativa de vida: 25-30 anos
Gestação: 13 meses
Peso: 220 – 370kg

Para conscientizar as pessoas sobre o declínio do número das quatro espécies de antas foi decidido que elas deveriam ter um dia dedicado a elas. Ficou estabelecido então que dia 27 de Abril,todo ano , é dia da Anta.

world-tapir-dayEscrito, filmado e fotografado por Adam Bannister

Vista aérea do Refúgio Ecológico Caiman

Gostaria de agradecer ao Sr Roberto Klabin pela oportunidade de proporcionar a membros do Projeto Onçafari  a oportunidade de fazer um voo sobre a Caiman. Todos os dias saimos em busca das onças pintadas nesse lugar maravilhoso. Nosso objetivo é encontrar e habituar esses magníficos felinos. Foi muito bom poder ver do alto o terreno por onde andamos todos os dias, as estradas, as trilhas, as árvores… enfim essa área que conhecemos tão bem.  Além de descobrir novas regiões onde podemos explorar.

Do avião tirei algumas fotos. Espero que gostem dessas fotos do Pantanal tiradas do alto…

The largest wetland in the world

A maior planície inundavel do Planeta.

From the air one truly gets an idea of the pure beauty of the Pantanal

Do ar é ainda mais fácil perceber a beleza do Pantanal.

Paizinho Bridge. This area is well known for its excellent Jaguar viewing. A family of Ocelots have been in this area for many years.

Paizinho Bridge. Essa área é ótima para se avistar onças pintadas. Além de uma familia de jaguatiricas que vivem aqui a anos.

Late floods meant that even in July there was still an abundance of water

As cheias atrasaram esse ano. Mesmo em Julho conseguimos ver uma abundância de água.

The core operations area of the ranch.

A principal área da Fazenda.

Cattle dotted throughout the incredibly green landscape

Bois na imensidão verde.

The main bridge that is apparently over a hundred years old

A ponte principal, com mais de 80 anos de idade.

A lone XXX tree stands out in the open

Uma Piúva solitária no campo aberto.

A vast view west towards Boliva and Paraguay

Vista infinita em direção a Bolívia e o Paraguai.

Escrito e fotografado por Adam Bannister

Onção…

Todas as manhãs saimos em busca de onças pintadas. Sempre checamos o solo em busca de sinais deixados na noite anterior. É como se fosse uma complicada caça ao tesouro. Frequentemente, nesse horário, cruzamos com pegadas do Fantasma, o maior macho aqui no Refúgio Ecológico Caiman.

The track of Fantasma resembles that of a lion in Africa. Here the water seeps through and collects in one of his tracks.

A pegada do Fantasma se parece com a de um leão. Nessa foto a água alagou a pegada dele.

Um dos motivos que demos o nome Fantasma a essa onça é que ela dificilmente é vista, apesar de estar em toda parte. Ela anda pelos campos e florestas como um fantasma. Deixa pistas de que esteve por lá, pegadas gigantes, carcaças de animais comidos e também aparece frequentemente em nossa armadilhas fotográficas.

Caught by the camera trap. In this picture you can clearly see the torn region on his lower nose.

Foto de armadilha fotográfica. Nessa foto da pra ver um ferimento em em seu focinho.

Pesquisas feitas em uma fazenda vizinha estimam que o território de um macho de onça pintada nessa região seja de 170 Km quadrados… O que é enorme! Somente quando se coloca essa área em um mapa é que se tem noção de quão gigante é o território que ele ocupa. O que também nos ajuda a compreender porque é tão difícil de encontra-lo frequentemente e também porque ele aparece em todas as armadilhas fotográficas que armamos.

Nossa equipe o encontra em média 4 vezes por mês. Mas quando o encontramos é sempre maravilhosos. Ele é gigante e cheio de músculos. A sua cara com cicatrizes sugere que ele seja velho, mas apesar disso ele ainda parece muito ativo. Certa vez já seguimos seus rastros, a pé, por 7km.  Acreditamos que ele seja o pai da maioria, se não de todos os filhotes que temos visto por aqui.

Mas a melhor coisa é que quando o encontramos ele sempre está super tranquilo. O que proporciona avistamentos excelentes. Como vc pode conferir no vídeo abaixo, ele é grande e confiante. É realmente um privilégio poder estar perto desse “fantasma das florestas”.

Fantasma has odd patterns for a Jaguar. His coat almost resembles that of a Leopard. He does not have the tell-tale spots in the centre of the rosettes. A feature that every other Jaguar that I have seen has. This picture shows just how short a Jaguars tail is!

As pintas do Fantasma parecem mais as de um leopardo do que as de uma onça pintada. Ele não tem pintas no meio das rosetas, como todas as outras onças que já vi.

He is one of the most relaxed Jaguars that we are currently viewing.

Ele é uma das onças mais tranquilas que encontramos.

Fantasma is a huge male Jaguar. We are not sure of his age, but I personally put him in the bracket of 11- 15. I may be way off the mark and would be fascinated to hear all your thoughts on his age!

O Fantasma é gigante. Não temos certeza de sua idade, mas eu diria que ele tem mais de 11 anos. Pode ser que eu esteja errado. Alguém tem alguma idéia?

Para os que acompanham nosso blog regularmente e viram um dos posts onde uma onça ignorou uma caracça fresca… bom era o Fantasma. Se vc não viu e quiser assistir ao vídeo, abaixo o link.

https://www.youtube.com/watch?v=NXmbvYa-qA8

Escrito, fotografado e filmado por Adam Bannister

A centimetros de um tamanduá

O tamanduá bandeira é um dos animais mais espetaculares do Pantanal. Aqui no Refúgio Ecológico Caiman, os encontramos quase todos os dias. Eles tem um formato estranho, o que nos faz querer fotografa-los sempre. Eu frequentemente procuro por eles. As vezes a oportunidade se apresenta em que é possivel sair do carro e ficar pertinho desses tamanduás. Isso possibilita uma visão bem de perto do tamanduá agindo normalmente… andando e comendo. Outro dia alguns amigos da África passaram uns dias aqui comigo, e trouxeram muito boa sorte…

It was Matthews dream to see a Giant Anteater in the wild...he never imagined that he would find himself a few feet away

Ele tinha o sonho de ver um tamanduá bandeira e jamais imaginou que poderia ver um tão de perto.

The wind was perfect and this allowed us to approach this Giant Anteater from downwind.

A posição do vento nos possibilitou chegar bem perto.

The perfect opportunity for photographs

A oportunidade perfeita para se tirar fotos.

The Anteater moved through the cattle fence

O Tamanduá atravessando uma cerca.

as seen by Matthew

Como foi visto por meu amigo Mathew.

Such an unusual and beautiful animal

Um animal estranho e bonito ao mesmo tempo

A combination of short green grass, perfect weather and ideal lighting made for a wonderful sighting

Uma combinação de vegetação baixa, tempo perfeito e a luz ideal fizeram esse avistamento maravilhoso.

Escrito e filmado por Adam Bannister
Fotos de Adam Bannister e Matthew Weaver